KNN BLOG
Qual o nível de inglês necessário para estudar no exterior?

Qual o nível de inglês necessário para estudar no exterior?

Education | 27/01/2020

Indiscutivelmente, a fluência no inglês é uma das portas necessárias para um futuro profissional de sucesso. Principalmente se esse conhecimento for adquirido após a pessoa estudar no exterior. Viver em outro país não proporciona só o conhecimento na língua estrangeira, como também experiência e o contato com outra cultura, questões muito apreciadas pelo mercado de trabalho.

Essas oportunidades transformam o intercâmbio em um sonho em comum entre pais e adolescentes. A oportunidade de se virar sozinho em uma grande viagem internacional é o sonho de muita gente. E praticamente obriga o intercambista a aprender o idioma, já que é a única alternativa para conseguir se comunicar no país escolhido.

Quer saber mais sobre as vantagens e o que você precisa fazer para embarcar nessa jornada? Confira nosso material.

1. Quais as vantagens de estudar no exterior?

Como falamos anteriormente, estudar no exterior por meio de um intercâmbio ou optando por um curso de curta duração engrossa positivamente o currículo e contribui para a construção de uma carreira de sucesso.

Mais do que isso, proporciona uma experiência de vida única, ajudando no crescimento pessoal e desenvolvendo a maturidade do intercambista. Além de ser uma lembrança para ele levar consigo pelo resto da vida.

São vários benefícios em termos educacionais, pessoais e profissionais. E se você tá afim de estudar no exterior, separamos algumas vantagens para você conhecer com mais detalhes.

Convívio com novas culturas

Passar um período no exterior, ainda que seja curto, permite que o viajante possa viver um pouco de uma nova cultura. Por mais que o país visitado seja semelhante ao de origem, ainda sim há diferenças que devem ser consideradas e agregam valor a experiência.

Estar em contato com novos costumes, tradições, comportamentos é bastante positivo para o desenvolvimento pessoal e profissional. Após um intercâmbio, você está apto a lidar com grande parte dos desafios no trabalho e na vida privada.

Melhoria de habilidades com idiomas

Quem vai para um intercâmbio tem como objetivo prender com excelência uma segunda língua. E mesmo que a meta seja outra – como melhorar as habilidades sociais, conforme descrito acima – inevitavelmente, a experiência vai propor melhorias na habilidade com o segundo idioma.

Isso porque você vai estar completamente envolvido com a língua do país que está te recebendo, aplicando tudo o que foi aprendido em cursos de inglês e outros métodos alternativos de estudo na prática, o que aumenta a facilidade na conversação e compreensão.

Oportunidades na carreira

Como já pontuamos algumas vezes neste texto, incluir um período de estudos no exterior valoriza o currículo. Mesmo que esse período esteja relacionado a etapa do colégio, ainda assim é uma experiência útil para muitas vagas – especialmente as que demandam fluência na língua estrangeira ou facilidade de adaptação em novos ambientes.

A própria viagem pode abrir novas oportunidades. Há casos de estudantes que conseguiram uma vaga na universidade ao realizarem uma parte do Ensino Médio nos Estados Unidos.

Desenvolvimento de novos interesses

Ainda falando sobre a carreira profissional, estudar no exterior pode contribuir para despertar um talento ou interesse adormecido. Uma grande vantagem para decidir com mais segurança a profissão que gostaria de seguir no futuro.

2. Quanto você deve dominar o inglês em um intercâmbio?

Uma das dúvidas mais frequente entre os futuros intercambistas é o nível de inglês necessário para ser aprovado em um intercâmbio. E a resposta vai depender do curso que você pretende realizar.

O programa mais comum, chamado de curso de idioma regular, não exige um nível mínimo no idioma. Ao chegar na sua nova escola, haverá um teste que avalia o desempenho e de acordo com o resultado, indica em qual turma você vai fazer o intercâmbio. Mas fique tranquilo, esse teste não reprova ninguém. Você não será mandado de volta ao Brasil se não atingir uma determinada nota.

Já programas mais complexos, como os preparatórios para exames de proficiência, universidades, o ensino médio no exterior, au pair, estágio, voluntariado e programas profissionais, podem exigir um nível de conhecimento intermediário ou a certificação de proficiência.

Curso de inglês

Se você está querendo escolher um curso de inglês (ou qualquer outro idioma), não é necessária uma certificação de nível avançado. Na realidade, o ponto de partida para as suas aulas será o quanto você conhece daquela língua. Por isso, as chances de realizar um teste de proficiência são grandes.

Geralmente, esses cursos são divididos entre os seguintes níveis:

  • iniciante;
  • intermediário;
  • avançado.

As aulas oferecidas envolvem escrita, leitura, conversação e compreensão oral. Por isso, é preciso saber exatamente por onde você deve iniciar. Do contrário, será um dinheiro jogado fora.

Cursos acadêmicos

Depois de concluir o Ensino Médio, é possível realizar a graduação no exterior. E se os seus planos são ainda mais ousados e a longo prazo, a pós pode fazer parte deles. Para isso, é fundamental ser fluente em inglês.

Geralmente, os cursos acadêmicos exigem o exame de proficiência, como o IELTS ou o famoso TOEFL. Se você começar a jornada de estudos no exterior por meio do intercâmbio ainda no colégio, é importante continuar estudando inglês ao voltar para o Brasil, garantindo que o idioma esteja fresco na memória e o sucesso na prova.

Vale lembrar que a nota mínima necessária é estipulada pela universidade escolhida, variando de acordo com a área de estudo. Portanto, para saber o nível adequado exigido, entre em contato com a instituição e se informe a respeito da nota e dos testes aceitos.

High School

Se o seu interesse é estudar fora agora mesmo, enquanto faz o Ensino Médio, deve procurar uma operadora que possa te conectar as escolas que podem te receber para fazer o High School.

Geralmente, o nível de inglês exigido também é o intermediário. Além disso, é necessário comprovar que ainda está cursando o Ensino Médio no Brasil. Mas fique atento: o histórico escolar não serve apenas como um documento que pode atestar que você se enquadra em cada exigência. Ele também pode contar pontos para que você seja aprovado.

A responsabilidade de organizar toda a documentação é sua, e os documentos devem ser traduzidos para o idioma do país escolhido por um tradutor juramentado, e validado na Secretaria de Educação do seu estado.

3. Como se preparar antes?

Estudar no exterior é uma grande decisão. Não é fácil ficar longe da família e dos amigos por um tempo, ainda mais em um lugar em que tudo é diferente. Por isso, é interessante se preparar. Veja como você pode fazer isso.

Escolha a escola e o curso certo

Que um dos principais objetivos do intercâmbio é estudar um idioma, você já sabe. E que o aprendizado em outro país pode acontecer de maneira mais rápida e eficiente, também. Mas é muito importante que invista em um curso ainda no Brasil, para aprender o básico e não chegar em sua escola americana totalmente cru. 

Quanto aos novos professores, pode ficar tranquilo. Certamente você vai para uma instituição em que o corpo docente está preparado e acostumado a receber alunos de outros países. E para que o programa escolhido esteja de acordo com o seu conhecimento, é preciso ser sincero na hora de relatar o quanto você conhece da língua.

Se você não tem muita certeza sobre o nivelamento no idioma, procure realizar um teste de nivelamento ou priorize as escolas do exterior que adotam esse processo. Geralmente, ele vem acompanhado de uma estrutura que aloca os estudantes de acordo com o domínio no inglês, facilitando a integração e o aprendizado.

Fique atento ao suporte prestado pela agência

Ao escolher a empresa que vai intermediar a sua ida para o exterior, é importante pesquisar se a agência, escola ou operadora tem condições de prestar um bom suporte caso seja necessário. Busque por relatos de outros estudantes que já passaram pela experiência, por meio da internet e em sua cidade.

Uma outra dica é buscar por companhias que tenham parceria com entidades espalhadas por diversos locais do mundo, com equipes de suporte preparadas para atender aos brasileiros que embarcam na incrível aventura de fazer um intercâmbio.

Dessa forma, você garante uma viagem mais segura e pode ir com tranquilidade, preocupado apenas em como aprender inglês da melhor forma e fazer novas amizades.

Verifique as exigências da sua escola no Brasil

Se a viagem acontecer durante o Ensino Médio, é importante checar com a sua escola no Brasil como é possível validar o tempo de estudos no exterior. Veja quais as exigências relacionadas as disciplinas que devem ser obrigatoriamente cursadas, para que o histórico possa ser validado sem problemas na volta.

Caso o país escolhido seja os Estados Unidos, as coisas funcionam um pouco diferentes do Brasil. Lá, os estudantes tem uma certa flexibilidade para escolher as disciplinas que serão cursadas. Claro que há uma carga obrigatória, mas ela é completada com matérias opcionais. Geralmente, o MEC exige que sejam cumpridas matérias das áreas:

  • Exatas;
  • Físicas;
  • Biológicas;
  • Idiomas;
  • Ciências sociais;
  • Educação física.

Verifique com antecedência a grade da escola em que vai estudar e busque informações com o seu colégio a respeito das disciplinas que você pode escolher.

Saiba o que fazer quando voltar

Quem vive a aventura de estudar no exterior não está fazendo uma viagem de férias e sim buscando uma formação mais completa e de qualidade. Por isso, antes mesmo de ir, é importante saber as questões burocráticas que devem ser resolvidas assim que chegar ao Brasil. 

Primeiramente, é preciso se certificar de quem é a responsabilidade de enviar o histórico escolar norte americano pra cá. Algumas escolas fazem isso, outras, exigem que o estudante encaminhe o histórico ao consulado para que receba um selo de autenticidade.

É muito importante estar atento a esse detalhe, especialmente se você for esticar a viagem após a sua escola estrangeira entrar no período de férias. Cuidado para não ficar empolgado com as festividades de final de semestre com os novos colegas e esquecer de solicitar a documentação necessária.

4. Como comprovar o nível de Inglês

Seja na ida ou na volta, saber uma língua estrangeira é muito útil para o currículo. Mas que possa ser usada como um diferencial, é importante que a proficiência seja certificada por meio de exames e documentos. 

É importante não enxergar o teste de proficiência como uma prova em que pode se reprovar. Esse exame nada mais é que uma forma de nivelar o conhecimento em uma língua estrangeira, qualificando o candidato de acordo com o nível alcançado.

Esse nivelamento é definido de forma precisa. Ou seja, se no teste for comprovado que você detém o nível intermediário, pode ficar seguro de que você é capaz de assumir qualquer missão que exija conhecimento neste patamar.

Independentemente do seu nível de fluência atual, procure por uma boa escola de idiomas antes da sua ida e quando voltar. Por mais intensa que seja a sua experiência, a fluência em uma língua estrangeira está diretamente relacionada a sua prática e se você parar de estudar, possivelmente vai ficar com o inglês enferrujado.

Vale lembrar que mesmo estudando antes de ir, ao chegar no exterior, é importante não ter medo de errar. Portanto interaja com os novos colegas, puxe conversa, frequente vários locais e procure não se isolar junto a brasileiros e outros estrangeiros.

A KNN tem uma metodologia que vale a pena conhecer. Desenvolvida especialmente para pessoas cujo idioma materno é o português, procura respeitar a maneira como estes indivíduos em específico assimilam o aprendizado de uma nova língua. Como o foco está no interesse dos alunos, as aulas são customizadas de acordo com as demandas, desejos e estilo de vida década estudante.

Com um material didático atualizado anualmente e matrículas durante o ano inteiro, você pode começar a se preparar para estudar fora a hora que quiser, com mais liberdade e autonomia, ou simplesmente não deixar o aprendizado cair no esquecimento a hora que voltar.

Estudar no exterior é colocar em prática tudo que estudou nas aulas de inglês. Deixe a vergonha de lado e comunique-se. Você está lá para aprender.

Conheça todos os cursos oferecidos pela KNN e escolha o que é a sua cara!

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter