O tesouro cultural da Bolívia

A Bolívia é um país que mistura dois mundos, o turístico com todo o seu processo de industrialização (que chama a atenção e se impõe pela paisagem) e o tradicional milenar que percorre inúmeros espaços e não tem pretensão alguma de desaparecer. 

Entender a dinâmica da riquíssima história do país abraça os visitantes em busca de uma experiência mais profunda, por isso, nós da KNN separamos alguns fatos que não apenas vão te fascinar, mas despertar aquele desejo de conhecer o país e sua cultura.

Bolívia é lar de mais de 30 línguas oficiais

Como todos já sabem, a Bolívia é um dos vários países falantes do espanhol na América Latina, mas isso não quer dizer que ela é a única língua utilizada no país. A constituição de 2009 reconheceu e listou 37 línguas que são faladas por lá, sendo algumas super raras que correm perigo de extinção.

Entre os idiomas indígenas que foram reconhecidos, o Quéchua é de longe o mais falado, sendo ele um grande protagonista nos Andes, já o Chiquitano é usado muito na região de Santa Cruz e o Guarani sendo a estrela dos diálogos na fronteira com o Paraguai, assim como o Aymara no Altiplano.

Apesar da fama, La Paz não é a verdadeira capital do país

Na maioria dos artigos sobre a Bolívia é comum a informação de que La Paz é a capital do país. Porém, isso não chega a ser uma verdade. La Paz é a principal cidade administrativa, sendo o local onde o governo oficialmente se encontra, mas o posto real de capital boliviana é da cidade de Sucre, que é localizada no sul do país, sendo ela a capital judicial de lá.

Causando essa pequena confusão técnica onde o país é administrado em dois polos distintos e quase independentes.

Eles têm esse nome por causa de Simón Bolívar

Talvez você já tenha ouvido falar das lutas de Simón Bolívar contra a Espanha em toda a “América Espanhola”, batalhas que clamavam um desejo de libertação e independência de países como a Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia.

Outra figura importante desse contexto é Antonio José de Sucre que pavimentou boa parte do futuro boliviano. Tendo escolhido entre duas opções dadas por Bolívar: unificar Charcas (atual Bolívia) com as Províncias Unidas do Rio da Prata ou com a República do Peru, ou criar um caminho independente e seguir sozinho.

Com Sucre optando pelo processo de independência completa em 1825, Charcas oficialmente deixou a Espanha de lado, formando um novo país que homenageia seu libertador.

É o único lugar onde você consegue assistir a Cholita Wrestling

Um espetáculo de luta livre diferente de tudo que você já viu, o Cholita Wrestling é o movimento criado pelas mulheres indígenas para participarem do esporte a partir dos anos 2000. Criado como uma ferramenta para vítimas de violência doméstica aliviarem o stress e formarem uma comunidade, o Cholita rapidamente se tornou um veículo de representação contra esse grande problema do país.

O maior deserto de sal fica na Bolívia

Com quase 11 mil quilômetros quadrados, o Salar de Uyuni é tão grande quanto a famosa ilha do Hawaii. Esse verdadeiro deserto de sal aparece frequentemente nos guias de viagens do mundo todo durante os poucos períodos de chuva.  Que por causa dela, em um momento curtíssimo do ano, a água transforma aquelas montanhas de sal no maior espelho do mundo.

Os tours guiados para o Salar de Uyuni são facilmente encontrados em La Paz, mas muitas pessoas preferem apenas alugar um carro e viver essa experiência por si mesmos.

Se você quer viver momentos únicos e usar o poder do idioma para se conectar com qualquer cultura, vem ser KNN.

Agendar sua aula grátis