Carregando...

Carregando...

Os esplêndidos filmes belgas

Apesar de não ser a principal escolha quando se pensa em cinema europeu, os filmes belgas têm uma diversidade própria que inspira e instiga através da sua perspectiva única.

E como nós da KNN adoramos te levar para viajar pela cultura dos mais diversos países, hoje te convidamos a dar um mergulho profundo em cinco filmes feitos na Bélgica!

 Mr Nobody – Jaco van Dormael (2009)

Quem ama a dinâmica americana de fazer cinema, junto com uma ficção científica de explodir mentes, vai amar o jeito que o cineasta belga Jaco van Dormael conduz essa história.

Mr Nobody conta a história de Nemo, uma pessoa que levava uma vida normal com sua esposa Elise e seus três filhos. Um belo dia ele acorda no ano de 2092 e tendo 118 anos, sendo o último mortal em uma Terra futurista onde todos os seres humanos são imortais, tendo como maior atração desse povo a tentativa de Doctor Feldhein a tentar ajudar Nemo com suas dúvidas principais, como o que aconteceu durante a passagem do tempo e lembrar se viveu sua vida como gostaria.

Rundskop – Michaël R. Roskam (2011)

Membro de uma influente família de agricultores da região sul de Limbourg, Jacky com uma não tão discreta ajuda de um veterinário de índole duvidosa, conquista um lugar privilegiado na chamada “Máfia dos hormônios” ficando próximo de fechar um negócio gigante com os principais traficantes da região. 

Porém o assassinato de um agente federal sacode as estruturas de poder na área e Jacky vai fazer de tudo para manter seu verdadeiro negócio em segredo.

Seven Sisters – Tommy Wirkola (2017)

Seven Sisters, ou “Onde está Segunda” como é conhecido por esse lado do Atlântico é mais uma ficção científica feita na Bélgica que vale muito a pena ser assistida. Situada no ano de 2073, o planeta sofre uma crise de recursos naturais e a principal saída para resolver esse caos é investir em alimentos geneticamente modificados, o que facilita a produção extensiva em um espaço físico limitado.

Mas essa iniciativa não veio sem um ônus, que nesse caso é o nascimento excessivo de gêmeos, o que gerou um efeito cascata de superpopulação, e nesse ambiente os governos decidem ser drásticos (quase maquiavélicos) criando a política de apenas um filho por casal, tendo que os irmãos dessa mesma família passarem por um processo de criogenia para serem despertados quando o planeta estiver estabilizado.

Mesmo com uma fiscalização rígida, Terrence Settman consegue salvar suas sete netas criando uma dinâmica de alternância que revezam entre si os dias da semana, com todas assumido a persona de Karen Settman (o mesmo nome de sua falecida mãe), o ponto de virada na história acontece trinta anos depois da criação dessa dinâmica, que seguiam religiosamente essa rotina até que uma das irmãs misteriosamente não volta para casa.

Dikkenek – Olivier Van Hoofstadt (2006)

Uma comédia clássica que beira o cult por outros países francófonos, Dikkenek conta a história de Jean Claude que tenta ajudar seu melhor amigo Setph a desencalhar. E nessa corrida em busca do grande amor de sua vida acontecem inúmeras situações inusitadas.

Com um senso de humor próprio da região, esse filme é cultuado e extremamente presente na cultura popular, tendo quase um efeito Superbad (2007) para quem fala francês.

The broken circle breakdown – Felix Van Growningen (2012)

Um sucesso de crítica e indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro: The broken circle breakdown conta a história da jovem Maybelle que após ser diagnosticada com câncer, trava uma batalha contra a doença, juntamente de seus pais Didier e Elise.

Com um roteiro que questiona a vida em todos os aspectos. Esse é um filme que desperta fortes emoções, te faz rir, chorar, e principalmente pensar sobre a vida, as relações entre as pessoas, o amor e suas consequências.

Deu para perceber um pouquinho do quão majestoso e variado é o cinema produzido na Bélgica, né? E para aproveitar esses e outros filmes maravilhosos dos mais diversos países do mundo, conte com os idiomas da KNN!

Pesquisa